Total de visualizações de página

terça-feira, junho 08, 2010

Sobre as rodas de pogo


A insonia me faz ter vontade de escrever e como faz tempo que eu não posto nada por aqui resolvi dar uma atualizadinha de leve. Vou ser breve por que estou um pouco cansada e preciso dormir, não que eu esteja com sono, lógico. Enfim, meu assunto é sobre as tradicionais rodas de pogo que acontecem nos eventos de rock em Manaus. Tomei vontade de escrever esse post no ultimo show do Matanza no Porão. Primeiro já gostaria de registrar que eu achei uma excelente ideia de terem afastado as mesas e bancos para trás, confesso que não vou com frequencia ao porão e também não sabia que os banheiros haviam ganhado uma reforma, cheirinho de limão foi quase inacreditável. Quando o Matanza começou, o calor já era grande mesmo assim me prontifiquei a ir lá pra frente (detalhe: estava de salto e tomara que caia, nada caiu :p). O show começou e seguiu até o fim com um repertorio porrada, e logo na segunda musica já pude classificar alguns naipes presentes na ‘roda’. Listarei-os:

Junkie pride for life style: eles curtem rock n’roll de verdade mas não necessariamente conhecem todas as musicas, são a maioria nas rodas , um dente ou o tênis a menos não vai fazer muita diferença.

Gordinhos tímidos:
Eles chegam ate treinar em casa, em alguma reuniãozinha com meia dúzia de amigos, uma ‘rodinha’ mas na hora do papoco eles preferem ficar só pelas beiradas.


Lango-lango:
esses são os ficam unicamente ficam na beirada, geralmente fica dividido entre prestar atenção no show ou na roda. Ae para não pegar um ‘tubão’ na lata, faz a linha lango-lango só dando alguns murrinhos nos ‘junkies’que tropeçam por ali


Gordões aloprados:
affe esses são um dos piores, geralmente estão suados, sem camisa e com uma cerveja cheia nas mãos. Se metem na roda só para causar e machucar algum roqueiro iniciante ainda de pernas bambas.


Mão-icanos:
esses são os mais divertidos, andam na diagonal, atravessam a roda com a mão na cabeça simbolizando um moicano e pronto.


Jiu-jiteiros:
esses não duram muito tempo numa roda ‘true’, acreditam que por serem mais fortes vão sair detonando mas acabam pegando algumas cotoveladas ou joelhadas e arregam da graça.


Playboys:
Em todo canto eles estão lá, num show de rock não é diferente. Além do nojinho de estarem suados com os corpos próximos, eles sempre arranjam um jeito de empurrar todo mundo, ficar bem no meio e com os braços molengas. No caso do show do matanza, eram maioria, para tornar a situação ainda mais engraçada. Um deles inclusive, até ficou nervoooosa quando alguém bateu nas costas dele.. “ui.. por trás não!”.


Verdadeiros fãs
: Precisava finalizar com eles, que queriam dividir-se em dois na maioria dos shows foda. Um para curtir a roda e outro para ficar parado olhando o show direitinho. Mesmo com risco de pegar um soco na boca, continuam cantando e pirando a cada musica que é tocada. Dificilmente se cansam e quase nunca arrumam confusão.
Claro, que no show do Violator por exemplo a coisa mudou um pouco de figura, mas essas personas são facilmente encontradas nos eventos daqui. Para não me alongar ainda mais, gostaria de frisar que no próximo dia 19, haverá o lançamento da revista INTERA, que será no Espaço Cultural Valer, a partir das 20h com shows das bandas Platinados e Ed Ondo.

Proximo post será em breve, prometo explicar tim-tim por tim-tim como será essa revista.

3 comentários:

Pikena disse...

Meu, eu adoro "listas"... hehehe! E catalogar cada ecossistema como o Porão do Alemão é muita onda..! Nem fui nesse show, mas deu pra adivinhar cada tipinho só pelo "Guia RenT de Espécimes"! *rs*

Vai dormir, mulher..! Camomila na insônia!

Ramones disse...

HAAiheiuhaeu,, é realmente todo mundo sabe da diversidade de nipes q rola em show de rock, mas nunca tinha visto uma avaliação detalhada disto!! eihaiehiua eu me enquadro no "VERDADEIROS FÃS" n arrisco uma roda pois fico vidrado olhando pro palco! *-* haaaa

Abraçooo

Mohamed Müstafá Al-jazirä disse...

jo soy uma mistura de Mão-icanos e gordoes aloprados!