Total de visualizações de página

sexta-feira, dezembro 16, 2011

Matéria publicada no jornal A Crítica sobre a Festa do Xibé - Parte 2

Matéria publicada no jornal Em Tempo sobre a Festa do Xibé - Parte 2

Matérias publicadas no Jornal do Commercio sobre a Festa do Xibé - Parte 2

Festa do Xibé - Parte 2

As chances de atualização desse blog tem sido cada vez mais raras, mas eis aqui um bom motivo para voltar a escrever... Mas pela segunda vez, ainda esse ano, vai rolar  mais uma edição da Festa do Xibé...

A primeira, apesar de conturbada pela chuva, falta de energia, deu tudo certo e saber que foi satisfatório para as poucas pessoas que foram foi suficiente para eu meter a cara para fazer a segunda.

E ela será amanhã, a partir das 16h, no Toca da Sinuca, na Praça 14.
Segue abaixo, as informações gerais sobre o evento...

** Bazar do Rock **
Seja CDs, livros, DVDs ou camisetas essa é hora de aproveitar o fim do ano e fazer a limpa naquilo que está empoeirado. Já que a verbo do momento é compartilhar, convidamos músicos, artistas e amantes do rock n’roll para abrir seus baús e dividir um pouco do acerto cultural em prol do próximo. 

A renda será destinada para compra de instrumentos de percussão que serão doados para o Grupo Musical Singeleza que fica na rua Ônix, s/n no bairro Nova Floresta, Zona Leste de Manaus. O responsável pelo grupo é o professor Camilo Assunção: 9219-1898/3082-4614

Início 15h
Entrada gratuita
Discotecagem: Thiago F. Martins e George Costa
Apresentação: Tudo Pelos Ares


** Exibição de filmes **

Início às 20h
Ingresso: R$5
O Rock Que o Brasil Não Viu de Bosco Leão e Clóvis Rodrigues
El Manchez
Amazônia Clipe Rock com videoclipes de bandas locais


** Prêmio Xibé da Música Amazonense **

Resolvi homenagear meus amigos músicos em uma premiação de destaques do ano. O cenário aqui está crescendo e nada mais justo tornar público o que faço desde 2007. Serão 10 categorias votadas de acordo com shows que eu assisti. Lógico que por diversos motivos existem eventos que eu não tive oportunidade de ir, então não serão contabilizados.

As listas anteriores e a premiação completa estará disponível a partir de 01 de Janeiro de 2012 no site rentinha.blogspot.com

Shows de Raphael Fonseca e Banana Punk
Início às 22h
Ingresso a R$10

Informações: 91893607/8241-5452
Agradecimentos a designer Carol Marrocos que fez a arte do flyer!

domingo, novembro 27, 2011

Vamos falar de coisa boa?


É impossível chegar a Manaus e não sentir vontade de conhecer o famoso Teatro Amazonas, Encontro das Águas ou os diversos pontos turísticos que a capital amazonense oferece. E por que não procurar algum som regional para conhecer o talento local? Para responder essa pergunta foi criada a Festa do Xibé, que será neste sábado, a partir das 20h, no Aomirante Bar (avenida Padre Agostino Caballero Martin, 287, Santo Antônio). O passaporte para o evento custa R$10,mas a bilheteria estará liberada até às 21h30.

Bater ponto neste evento é requisito primordial para essa firmação desse povo. Seja pela rebeldia punk da Nematóides, ou o ‘rock podre’ da banda Dpeids a festa segue buscando a identidade local. Quem também tem presença cativa no evento é o peso grounge da Infâmia, isso sem contar com o som eletrônico da banda João Pestana, os veteranos da Underflow. Seja qual for sua tribo, a balada adere todos os gostos, incluindo o ritmo dançante com uma pegada de carimbó da Alaídenegão, o produto cru dos mauesenses da Antiga Roll e o hardcore melódico da Bandaid.

Filho da terra e regional até a espinha, DJ e MC Fino, entra de fininho nos intervalos de cada banda para mais uma apresentação de seu set. É aí que o silêncio vai embora e dá a vez para samplers e novidades das bandas amazonenses.

Esse é o jeito de ter orgulho em ser amazonense, com repertório 100% autoral é o que explica uma das produtoras do evento, a jornalista Renata Paula. “O produto autoral não é uma tecla batida, principalmente quando a maioria das opções de diversão na cidade inclui tributos e bandas com conteúdo unicamente cover. A gente precisa se vender e homenagear o material legitimamente nosso”, argumenta.

Como o dicionário Amazonês, escrito pelo doutor em linguística Sérgio Freire, A palavra Chibé, significa a mistura de farinha de macaxeira, água e açúcar. Para reunir e misturar os estilos no evento em que a parcialidade seja unicamente voltada para aqueles que aqui estão.  Ouvir e ver o talento regional, quem comparecer ao evento, vai poder sentir o gosto da original iguaria local.

Na festa também haverá exibição de curtas-metragens locais selecionados pelo Coletivo Amacine. Exposição de produtos das lojas Hey You, Caboquês Ilustrado e Dog Hot Dog Distro.

Despertar a necessidade de ter uma identidade própria firmada é o que rege o músico Amauri Frazão. “Na roupa, na língua ou nos costumes, os amazonenses conseguem ser diferenciados em todos os lugares do mundo. Com mais de dois milhões de pessoas residentes aqui, a cultura local ainda precisa ser firmada”, acrescenta o artista que faz parte da banda Underflow.

SERVIÇO

Festa do Xibé – Parte 1

Sábado, 29 de Outubro às 20h

Aomirante

R$10 (entrada gratuita até 21h30)

9189-3607/ 8200-8377

quinta-feira, setembro 29, 2011

Coçar e gozar é só começar

Esse não é um post defedendo a traição como o trocadilho do título tende a explicar, é simplesmente para dizer o quão forte é o prazer de coçar uma coceira. Sem nojo do gozo e do "coço", o fato é seja por picada de bicho, uma tatuagem nova ou a tradicional frieira entre os dedos do pé na hora que coça o esfrega-esfrega em qualquer canto pode ser tão prazeroso quanto um orgasmo. Mesmo podendo ter prazer por horas durante uma relação a hora do orgasmo na mulher pode ser altamente satisfatório. Coçando devagazinho, aumentando o ritmo, fazendo movimentos circulares, alternados, com mais intensidade esse prazer pode ser multiplicado. Tanto pelo alívio quanto pela satisfação propria a partir de um estímulo "externo".
Os homens defendem a punheta com a justificativa de que jogo é jogo e treino é treino. Justo, as mulheres que se masturbam com frenquencia tem certeza da diferença entre gozar e transar. Portanto a coceira pode ser transformada em masturbação permitida, claro que você não vai ficar 45minutos na parada do ônibus coçando o braço, as costas ou até a cabeça. Mas a possibidade de passar o tempo ocioso sentindo prazer é a mais frequente. Por isso meu povo, não tenha vergonha de coçar, meter a unha e se satisfazer.

Nota: a possibilidade de coceira no clitóris pode causar redundancia no ato e o efeito pode não ser finalizado com sucesso. 

quarta-feira, setembro 21, 2011

pc siqueira feellings


Aproveitando que a bateria do meu notebook ainda está carregada resolvi escrever alguma coisa por aqui.Não consigo acreditar que eu fico espantada por descobri que tem muita gente que já fumou trocentos cigarros unicamente para aprender a fazer circulos de fumaça. Sim, semelhante aos que o Mestre Gandalf faz no início do Senhor dos Anéis - A Sociecidade do Anel. Ou de neguinho que
fumou muita maconha para ver até quantos metros a fumaça sai.
Essa do Gandalf eu descobri esse final de semana, tava num show de hardcore aí a figura estava com alguns dos meus amigos. Mas como tava falando com muita gente, já tinha recebido altas cutucadas e encontrados altos "talvez você conheça", eu me deparo para a dita. Uma mina com aparencia de 13 anos, com aproximadamente 47kg e 1,50m de altura, sentada em cima de uma cerca com mais ou menos 30cm de distancia do chão com a cabeça inclinada fazendo (tentando) bolas de fumaça. Aproveitei o barulho para me aproximar do meu amigo mais intimo que estava na galera e perguntar "o porque deles estarem com uma criança (bizarra) lá".
Tão absurdado quanto eu porém contido pela conveniencia ele responde que não conhece. Era uma atrás da outra, hora a mina queria ser a VJ da MTV depois ela já tava Babilônia. Ainda altamente curiosa para saber se a menina tinha rosto de criança mas idade de uma tia, ou realmente era um projeto de anão que quase deu certo. Eu ainda perguntei a idade da moça. Esperei uma situação oportuna para não dá muito na vista. O número era 21 e minha unica expressão foi de #taexplicado.

terça-feira, setembro 06, 2011

Mimimi de cu é rola!

Todo meu ciclo de amizades sempre foi composto em sua maioria por homens, unicamente por uma escolha minha. Quando era criança, nunca achei necessárias as meninices de “vamos ficar de mal” ou se doer por alguma coisa que uma fez pra outra. De um simples exemplo, levo esse estilo de vida até hoje.
Essa convivência maior no cotidiano masculino sempre me ajudou a lidar com meus relacionamentos, seja por precaução sobre uma possível paixonite ou até a segura postura sobre traição...
Por outro lado, desenvolveu certa modernidade que hoje ta me frustrando. De um lado, eles dizem que homem nenhum despensa a bóia quando ela tá afim de dar. E um dos maiores incentivos que meus amigos dão é quanto a mulher precisar tomar a iniciativa. Que quando a mulher quiser dar, ela precisa demonstrar que não há problema nenhum nisso.
NÃO FUNCIONA! Quanto mais a mulher demonstra que quer dar mais o cara desguia. Ele inventa mil desculpas, diz que não tem camisinha, não tem dinheiro, tá bêbado demais, ele dá qualquer desculpa esfarrapada mas não come. A mulher se sente um lixo mas na próxima bebedeira ela vai ligar pra ele de novo.
Não podia ser tão mais fácil? Claro que ninguém está 100% disponíveis, mas pra sexo sempre rola um esforço maior. Não tem aquela história de que sexo até quando é ruim é bom? Que continue fazendo acontecer, sem cu doce por que eu tenho tendencia a ser diabética. 

domingo, agosto 07, 2011

Príncipe encantado na balada


Ultimamente tenho observado que grande parte das minhas amigas solteiras levam uma vida meio ‘cafas’. Pegar e não se apegar, dar na primeira noite, descartar possíveis bons partidos e preferir os conquistadores baratos. Grande parte da geração Y feminina foi criada de uma forma diferenciada do que há algumas décadas. Um exemplo disso pode ser resumido com a expressão “teu marido é teu emprego”.
Essa independência feminina tem conflitado com o tratamento de alguns homens, principalmente os tais ditos “machos alfas tradicionais” que foram programados unicamente para se relacionarem com aquelas amélias, moemas e mulheres sem muita voz numa relação.
No meu ciclo de amizades, há quem se submeta a isso, mas a maioria, principalmente aquelas que “optaram” também por estarem solteiras até hoje, se ferram com essas diferenças.
A questão de tratamento entre homem e mulher não é uma receita de bolo, as pessoas tem que aprender na prática mesmo. Muitas vezes até ter que apanhar muito para conseguirem chegar a um denominador comum.
O que rola sempre é que chega uma hora que elas querem sossegar. Quando chega domingo a noite e ela quer culpar a operadora do celular por não ter recebido sequer um SMS com um convite.
Quando a gente é adolescente, pelo menos uma vez por mês a gente é convidada para um aniversário de 15 anos porem quando a gente vira adulta, os convites mudam de assunto e os casamentos são ainda mais frequentes. E claro, ao lado do vestido novo e as horas no salão vem também uma enorme carga de inveja e esperança de “quando será a minha vez?”.
Tem gente que pode até negar, mas todas as mulheres  pensam nesse momento. O que eu não consigo entender, e aí eu questiono a vocês leitores, porque as mulheres solteiras pegadores independentes modernas e todo bla bla bla século 21 procuram os tais ‘caras’ certas numa balada?
Claro que pode ser que encontre essas coisas ninguém prevê, mas a probabilidade é muito pequena. A frustração é instantânea principalmente o cara (peguete e futuro namorado em potencial) nunca vai levar a mina que tava de shorts jeans, sandália de salto alto, top decotado e maquiagem carregada numa balada. Principalmente quando a mulher dá moral de cara e até faz sexo no primeiro dia. Ilusão né? Mas é a realidade.
Minha sugestão é que procurem ser mais seletiva, misteriosa, demonstrar essa modernidade em atitudes mais favoráveis. Afinal de contas, se você paga de mulher do século 21 vai querer dividir a conta do restaurante no primeiro encontro. Tá bom, o primeiro ele paga, mas no segundo, terceiro, motel... Esse papo de esqueceu a carteira ou ‘só tenho cartão’ é feio.
Isso sem contar com a valorização pessoal e o amor próprio que nem precisariam ser mencionados aqui né?

sexta-feira, agosto 05, 2011

Olha eu no kibeloco!

Sinceramente não sei quem mandou essa foto pra lá nem onde realmente tava... Só sei que apareceu no site Kibeloco essa semana.... Pelo menos a pessoa teve o cuidado de preservar o rosto das pessoas hein?

Ps- Lógico que a bichinha é montagem!

terça-feira, julho 26, 2011

Copo Vazio

É sempre bom lembrar
Que um copo vazio
Está cheio de ar.

É sempre bom lembrar
Que o ar sombrio de um rosto
Está cheio de um ar vazio,
Vazio daquilo que no ar do copo
Ocupa um lugar.

É sempre bom lembrar,
Guardar de cor que o ar vazio
De um rosto sombrio está cheio de dor.

É sempre bom lembrar
Que um copo vazio
Está cheio de ar.
Que o ar no copo ocupa o lugar do vinho,
Que o vinho busca ocupar o lugar da dor.
Que a dor ocupa metade da verdade,
A verdadeira natureza interior.

Uma metade cheia, uma metade vazia.
Uma metade tristeza, uma metade alegria.
A magia da verdade inteira, todo poderoso amor.
A magia da verdade inteira, todo poderoso amor.

É sempre bom lembrar
Que um copo vazio
Está cheio de ar.

quarta-feira, julho 13, 2011

Resenha do filme Cilada.Com

Nos tempos em que o bullying definitivamente virou um problema social, o filme “Cilada.Com” com direção de José Alvarenga Jr. (Os Normais, Divã) mostra exatamente o quanto um cara pode ser zuado após ter um vídeo divulgado no “InTube” em uma performance de ejaculação precoce.


Após trair a namorada (Fernanda Paes Leme), Bruno (Bruno Mazzeo) em frente de todos os convidados do casamento da melhor amiga dela. Ela resolve se vingar e postar na internet um vídeo de uma transa que durou menos de 10 segundos.

Ele que nunca foi um namorado atencioso, também é um atrapalhado e medíocre publicitário. Frustrado, Bruno contrata um cineasta maconheiro apelidado de 'Marconha'(Sérgio Loroza) para filmar uma performance que possa salvar a reputação do cara, ‘mandando ver’ com alguma menina.



Recheado de clichês e trocadilhos infames, a trama segue com as experiências sexuais com mulheres desconhecidas. Que vão de prostituta que fala errado, mulher com pênis e até mau hálito. A 'baforenta'(Carol Castro) é responsável pelo despertar de Bruno, ela diz permanecer com uma pessoa só pra não ficar sozinho é uma forma de amar.

No humor mamão-com-açúcar dá até para enumerar a cadeia de clichês facilmente encontrada nos filmes da Sessão da Tarde. Como a hora da caça em que Bruno resgata a famosa lista telefona com os nomes das mulheres. Tanto a que morreu, quanto a que casou ou a que mudou de time estão todas lá. Isso sem contar da declaração de amor na chuva com direito a participação e comentários dos vizinhos mau-humorados.

Comédia romantica

Mesmo sem nunca ter dito “Eu Te Amo” para a namorada, a trama inteira gira em torno da reconciliação do casal. Que assim como nas adocicadas comédias românticas hollywoodianas, abusam de uma carga de sentimentalismo barato e pura demagogia entre um casal.

Quem está acostumado com os episódios da série da TV, não vai encontrar algo muito diferente. Mas também não chega a ponto dé ser um episódio estendido, mesmo assim, segue a linha de manter o próprio nome do personagem principal. O que dá um tom narcisista da trama. Por exemplo, a paixão pelo Vasco da Gama que Bruno como péssimo namorado exalta as datas de títulos e conquistas do time carioca. Sobre o diretor já era de se esperar mais uma produção com cara de TV. Ele que também dirigiu as séries “A Diarista”, “Força Tarefa” não escondeu a característica publicitária da produção.

Ainda no elenco, estão os humoristas Dani Calabresa (MTV), Marcos Caruso (Multishow), Augusto Madeira, Fabiula Nascimento, Fúlvio Stefanini, Luis Miranda, Débora Lamm, Alexandre Nero, Karla Karenina, e outros.


terça-feira, julho 12, 2011

Nada como foi será...

Eu já me fodi muito com amizades. Sempre me dediquei, assumi culpas, defendi prós, contras e nem todas as vezes valeram a pena. Ouvia quando ela moleca que nosso circulo de amizade era com base na nossa conveniência, seja o pessoal do trampo, escola ou bairro. Eu achava um absurdo, talvez porque queria abraçar todos ao mesmo tempo. Demorou pr’eu entender o porquê desse discurso, hoje eu me arrisco até a concordar.
É foda esse blog aqui já armazenou muito das minhas reclamações com as pessoas que me foderam na vida... Hoje eu nem esquento mais, valorizo aquilo que eu conquistei que já está de bom tamanho. Não é todo mundo que tem facilidade para ter boas companhias, receber carinho sem esperar nada em troca e confiar certamente no zelo do outro.
Durante tanta tempo, já passaram muitas pessoas na minha vida, umas fazem falta até hoje mas que a certeza de bastam alguns segundos durante o reencontro para tudo voltar como era antes. Como dia aquela música que eu nem gosto muito: “tudo passa, tudo sempre passará”... E é com base nessas passagens que eu deixo as coisas rolarem.
Neguinho paga de malzão, valentão, cherador de peido de otário, mas eu sei que não passa de um filhinho de mamãe que tinha tudo para se dar bem nada vida fazendo o bem. Um dia aprende, nem que tenha que quebrar a cara, se foder todinho e olhar o tempo perdido. Mesmo porque, chance nem sempre é dada duas vezes...

domingo, junho 26, 2011

Mania de querer ser “the one”

Muita gente vai querer se identificar com esse post de hoje, mas não contarei uma história específica, e sim, algumas observações que faço diante do comportamento de pessoas próximas.
Pegar um cara ‘pegador’ tem lá as suas vantagens, afinal de contas se ele já traçou várias meninas do mesmo nicho, alguma coisa boa ele tem (além da lábia). Algumas vezes rola até declaradamente uma recomendação, o que aumenta ainda mais a curiosidade de pegar o cara.
Pensando pelo lado geral da questão, é uma troca mútua de prazer, afinal de contas, aumenta a popularidade do cara e você mesmo sendo só ‘mais uma’ quem sabe, sabe que ali vale a pena passar por isso.
O problema é que geralmente esse status de cara pegador (não necessariamente safado), vem com o bônus de ser fofo, carinhoso, criativo, enfim, pra mim, faz parte do pacote, mas nem sempre todo mundo consegue enxergar isso. Aí entra no âmbito de querer ser A mulher da vida do cara.
A que vai tirar o cara da poligamia e tê-lo exclusivamente pra mim. Mentiiira. Pode até acontecer, mas é raridade. O cara mora sozinho, já não come mais a comidinha de casa há muito tempo, mas isso não faz falta porque tem sempre um tempero novo exalando na cozinha.
Na geladeira tem pratos orientais, regionais, africanos e de quaisquer nacionalidades que ele tenha conservado. Não vai ser você, nesse seu mundinho de princesa encantada que vai fazer o cara abrir mão disso.
Sai com o cara, no outro dia já dá aquela enxurrada de mensagens melosas, força piadinhas internas e muitas vezes já se acha intima suficiente para opinar sobre a roupa que ele vai vestir quando vão sair juntos.
O cara pra manter a bóia até segue pra fazer a média o que ilude ainda mais, portanto, mas é preciso manter ainda assim o mistério sobre a relação. Mesmo que ela não vá permanecer só na casualidade, vá até se tornar algo sério é preciso segurar um pouco do ouro para assim ter sempre algo a ser desbravado.
Mas o lance da conquista é assunto para um próximo post... 

ps- isso também é válido para os homens!

sexta-feira, junho 24, 2011

POST 100!

Essa é minha 100ª postagem aqui neste blog, confesso que não imaginava que ele duraria tanto. Mesmo com atualizações esporádicas nunca abri mão de escrever aqui.
De todos os assuntos já citados aqui, desde as piadinhas cretinas, os desabafos, as polêmicas, neste veículo esteja registrado um pouco do que eu sou e de como penso sobre a vida.
Hoje não sou mais uma adolescente rebelde, o assunto mudou, as letras estão mais presentes mas eu  espero que esse espaço continue sendo lido e propagado por aí. 

segunda-feira, junho 06, 2011

Sem #mimimi o namoro pode ir longe...

Não é de hoje que algumas amigas que ainda namoram reclamam sobre a falta de atitude dos namorados. Conversando com uma delas, eu percebi que esse lance de atitude que elas tanto cobram não é um bicho de sete cabeças. As vezes um gesto mais autêntico, menos óbvio faz toda a diferença. 
Eu concordo que entender o que se passa na cabeça das mulheres não é uma tarefa muito fácil, mas existem opções que podem surpreender e fazer com que os homens ganhem pontos com a parceira. 
Um exemplo disso é a escolha de um local para o fim de semana. A tão comentada rotina as vezes persegue casais e se o homem não procurar se impor na relação vai acabar perdendo certos direitos. Vale ressaltar que essa imposição, não significa mandar na mulher e obrigar que ela vá em um encontro para ver você bebendo, jogando videogame ou dominó com os seus amigos até altas horas da madrugada. 
Um grande segredo para que um namoro dê certo é a sociabilidade do casal tanto sozinhos quanto para com outros casais e amigos. Uma vez que o casal consegue dosar isso e outras ‘cositas’, pode contar com um bom futuro.
Uma atitude simples que geralmente faz toda a diferença, aconteceu outro dia com um casal amigo meu. Não vou citar nomes para que não haja controvérsias, mas ela era uma das que reclamava que o namorado era meio passivo na programação do casal.
Ele chegou um dia, com aquele discurso “te arruma que a gente vai sair”, até essa grosseria a gente engole, já que vai ser levado para um programa diferente. Basta um restaurante diferente, um passeio no parque no fim da tarde até uma sala diferente de cinema vale.
Parece até que as mulheres se contentam com pouco, mas na real, é que a gente não faz mais a linha menina-moça que sai da casa dos pais direto para casa do marido e segue adiante cuidado dos filhos e dos afazeres domésticos.
As mulheres querem fazer faculdades, MBAs, cursos e especializações. Querem ter bons empregos, independência financeira, dirigir, ter carro, não que os homens não almejam isso, mas eu analiso as mulheres uma necessidade mais imediata dessas ações. Mesmo com tudo isso a caminho, a mulher não vai querer ter que decidir até o canto da mesa em que vai sentar quando chegar o final da semana.
Claro que ainda existem as moemas, que seguem essa linha do tempo da vovó, alguns homens até preferem para que não haja opiniões contrárias.  Porém, a maioria das minhas amigas são diferentes e querem atitude masculina.

sexta-feira, maio 27, 2011

Pompôo? Pompoarizo? Ou Pompuo?

Parece que essa história de falar putaria na internet realmente dá popularidade, não é exatamente isso que eu quero nesse blog, mas é sempre bom quando as pessoas leem as besteiras que passam pela sua cabeça.

Essa semana eu fui num curso de "sedução e sensualização" por uma especialista em pompoarismo. Fiquei  surpresa com a quantidade de pessoas que foram no evento, principalmente porque o ingresso custava R$100.

Acheio curioso o jeito serelepe como aquela centena de mulheres estava, altamente ouriçadas quando a palestrante falava alguma coisa sexual. Mas aí, depois eu conversando com algumas pessoas, eu percebi que fora o tabu que existe em falar de sexo, fazer sexo é tão tenso quanto. Conheco mulher que nao goza mesmo sendo casada e nao se preocupa com isso. 

As pessoas falam tanto em orgasmo que talvez muita gente nao saiba identificar quando tem um e acaba passando batido ou parando no estagio em que ainda nem O MELHOR momento.

Parte da culpa deve ser dada aos homens ligeirinhos mas também a própria mulher se anula e ainda abre mão do prazer próprio. Vai entender os "comprecsus" que as pessoas tem ne?

Outro dia eu tava conversando com um amigo e tava tentando explicar a diferença entre transar e gozar na prática e de acordo com o meu cotidiano. Isso tem tudo a ver com autoconhecimento e curiosidade. Isso parece tão obvio mas não acontece muito na vida de algumas mulheres que eu conheço.

O gozar pode ser unicamente automático e instaneo, dependendo da vibe, pensamento e ação que ta formando, isso, tando ou nao com um parceiro.  Vai no lance que as pessoas dizem que as mulheres solteiras precisam ter sempre "em mãos" os famosos consolos. Hehehe há controversias...

A mulher pode se matar na siririca ou nem pensar em sexo quando tá sem ninguém mas o contato a dois, homem e mulher é infinitamente mais prazeroso. O cara pode até não ser muito empenhado mas a atitude, o cheiro de desodorante cinza, o movimento repetitivo que chega a ferir, a respiração ofegante, a tara, o fogo, a pressa atrapalhada e até o silêncio que sucede o ato contam.

Quando eu tinha uns 13 anos, um amigo meu me ensinou uns exercícios básicos de pompoarismo, claro que ele nao deu esse nome, nem lembro que nome que ele deu, mas enfim, talvez se eu tivesse começado naquela epoca hoje em dia eu já seria capaz de expelir uma bola de pingpong da boceta. Hahahah Papo! Ou não. Depois de outras técnicas mais explicadas, vai ser uma pratica que eu devo começar mas só vai ser aplicado se o cara merecer. HAHAH

quarta-feira, maio 11, 2011

Proeza em menos de dois minutos:

Já passa da 0h e eu levantei SÓ pra apagar a luz do quarto, ae apreveitei que tava em pé e fui na cozinha pegar água.
Aproveitei que tava na cozinha, olhei uma carne que tava no fogão, não acendi a luz, sem querer bati num copo de vidro, derrubei o copo, o copo quebrou, pisei no vidro, não consegui tirar o vidro do pé,como tava com a penela da carne na mão, me desequilibrei e derrubei a tampa da panela.
Abri o freezer e fui atras de um gelo, achei um dindin de abacate.
E antes que fizesse mais merda resolvi voltar pro quarto.
Pulando só com um pé, um dindin geladão na boca!
DETALHE, a luz ainda tá acesa e eu não peguei nem bebi água!

terça-feira, maio 10, 2011

Post quente e úmido!


Com essa nova história de "140 caracteres" parece que esse lance de blog deu uma esfriada, por outro lado, estava dando uma olhada nos meus seguidores, verifiquei que existem vários desconhecidos e isso me estimulou a escrever mais uma vez nesse blog. 
O que não foi nenhuma surpresa, foi ter visto que o assunto mais lido em todo histórico do blog foi quando eu falei do “cabaço”, em 2007. Enfim, passado alguns anos e algumas experiências, voltarei a falar no assunto. Calma! Não vou contar nenhum detalhe sobre alguma experiência pessoal.
Se você ainda está lendo, prometo não decepcionar uma das minhas teorias sobre sexo. No caso, o sexo oral. Durante a relação sexual, sexo oral é praticamente fundamental para transformar aquilo ainda mais excitante.
Muitas mulheres, amigas minhas, praticam “o oral”, como se fosse uma troca de favores, e é, mas deveria ser visto de outro jeito. Não sei se é porque eu tive muito contato com amigos, e desde moleca recebi altos “intensivos” sobre tal ato, mas acredito que para a mulher é bem mais fácil chupar um pau do que para um homem uma boceta. Controversos, manifestem-se.
É só se apegar às analogias com pirulito, picolé, churros ou quaisquer outros alimentos roliços. Claro que não é tão simples assim, mas acredito que seja ainda mais fácil do que para os homens.
Aí está a minha inquietação, porque muitas mulheres, mesmo querendo em troca, nem sempre elas tem total segurança de que aquele parceiro vai saber fazer direitinho. Para que não haja frustração ou decepção, muitas delas até abrem mão.
Aquelas que não abrem mão de jeito nenhum e arrastam a cabeça do rapaz para a zona de prazer, a dica vai para os convocados, listarei alguns estereótipos clássicos e respectivas atitudes. 

Esfomeados: O clitóris pode até parecer mas não é chiclete, então não precisa tentar fazer bolas porque não vai funcionar. Encostar o dente dói, se sua parceira não gostar de sentir dor evite a mordida. 

Apaixonados: Algumas mulheres capricham na depilação e fica até bonito. Mas isso não quer dizer que você vai ficar apreciando como se não houvesse amanhã, seja objetivo para logo logo receber o seu. 

Cutuqueiros: Existe aquele ditado masculino que diz: Enquanto eu tiver língua e dedo, mulher nenhuma me mete medo!", muita calma nessa hora, lembra daquele que diz, “um é pouco, dois é bom e três demais”, a  vagina da mulher  tem várias zonas erógenas, o dedo é sempre um complemento, mas não confunda sexo oral com siririca, portanto “rebole a língua, baby”.

Pin-ball: A ideia de ficar com a língua pra cima e pra baixo é boa, mas tem que ter cautela, muitas vezes quando a mulher tá começando a pirar em um local, trocar não é a melhor opção. Pedir uma orientaçãozinha não tem problema, mas nada como “tá quente” ou “tá frio” a não ser que você queira dar uma de programa do gugu.

Kiko: Chegar nos finalmentes com aquela gata tão desejado deve ser uma conquista e tanto, mas isso não quer dizer que durante as preliminares vá ficar lambendo como se fosse um pirulito colorido. Lambida é legal, faça que dá certo, mas não há nada mais prazeroso do que uma boa chupada, não existe eufemismo para isso.

Sanguessuga: Calma, não é literalmente, a não que seja muita gana, mas é que existem alguns homens que preferem sugar ao invés de só chupar a mulher. Geralmente isso fica muito desconfortável e dependendo da força  chega até a doer, uma mistureba de tudo já citado em pequenas doses até pode fazer sucesso, mas é preciso muito conhecimento sobre as preferências da parceira. 

A dica universal para todos os tipos é que após certa intimidade, vale a pena estabelecer algumas exigências, “mulher pentulhuda não merece oral!”, isso sem falar do banho, a não ser que prefira o recheio de catupiry.  


quarta-feira, abril 13, 2011

A vontade de escrever...


Estava apenas guardada, era como um feriado de mim mesmo. E de todas as passagens boas e ruins ficam as lições. Posso dizer que foi bom não saber. Foi bom ter olhado. O troço que por pouco não foi troco. Foi como o primeiro drama da primeira dama. E em meio de mais noite reviradas que se rebelam durante o dia e que em muitas vezes vem acompanhados de gargalhadas e sorrisos amarelos que jamais serão reproduzidos. Mesmo assim, fazer de conta que sou turista e bater palmas com vontade.

quarta-feira, fevereiro 16, 2011

O voto de confiança não é só meu...



Fiquei feliz e orgulhosa quando soube que a Campari tinha sido selecionada para tocar no Grito, achei ótima a ideia até de não ser na programação oficial das bandas... Isso sem contar que tanto a foto quanto o texto de descrição são meus... fico no empasse entre fã e 'inimigo' da banda... whatever..

Eu nao pude acompanhar desde o início da banda eles dizem que existe desde os primórdios do colégio brasileiro, mas o projeto que se desenvolvendo recentemente eu tenho acompanhado desde os primeiros acordes e acredito que a banda tem tudo para se tornar uma boa referência como música local e experimental daqui.

Convido todos a confererirem o nascimento oficial da banda, neste sábado, às 22h, no Bar Teatro Estação Cultural, na rua 10 de Julho no Centro (onde antigamente funcionava o Jetset). Não paga nada para entrar e de quebra ainda pode assistir à apresentação da Playmobils.

ps-O mais legal dessa história é que o primeiro show da Campari será num ex-puteiro. Já é uma história pra contar pros filhos hein?

domingo, janeiro 02, 2011

Destaques de 2010



Melhor vocalista– Edu Branco
Melhor show nacional – Mukeka di Rato
Melhor show – Ed Ondo Acústico no Rock pra Valer
Melhor banda – Antiga Roll
Melhor baixista – Zi – Ed Ondo
Melhor guitarrista – Marcelo Figueiredo - Canjazz
Melhor Baterista - AJ
Melhor frontman – Edu – Tudo Pelos Ares
Melhor performance – Mini Box Lunar no Até o Tucupi
Melhor performance individual – Tiago Umeboshi no dia Mundial do Rock do Olímpico
Melhor casa de show - Aomirante
Melhor cerveja – ET Bar
Melhor larica – Patiu’s
Melhor festa – Mercenários Motoclube – 4 de setembro
Melhor tributo – Pearl Jam - Madstone
Melhor coro – Itacoatiara - Platinados
Melhor lançamento – Entrelinhas – Roodie
Show Inacreditável – Pixies no SWU
Menção honrosa – Anônimos Alhures
Maior saudade – Tulipa Negra (sempre)
Melhor twitter - @pfrentsucupira
Melhor site – manifestorockunderground.blogspot.com
Revelação – Dpeids
Melhor Participação – Branco tocando com a Platinados no Até o Tucupi
Melhor Cover – Mistério do Planeta (Novos Baianos) - Cabocrioulo
Voto de confiança para 2011 – Projeto Campari
Hit do ano – La Belle Dejour (Na Pele do Cu) – ET Bar
Pior show – Still Night no Red Bar
Pior Cover – Gasoline Bass tocando Muse
Pior Tributo – Aborto Elétrico - Humanos
Pior banda – Extremamente Tosco
Pior festa – Mad House Underground no Educandos
Pior coro – Nirvana – Tributo a Seatle no Porão
Vergonha do ano – Policia agindo de forma truculenta no Grito Rock
Show mais engraçado – Shaking Hands – Saraiva Mega Store
Vai tomar no cu do ano – Ehud e todos os responsáveis pelo assassinato do Tulipa
‘caralho que porra eh essa?' do ano – Dia do Rock em 22 de Agosto no Teatro Amazonas, pra completar maioria das bandas tocando cover.

Foto: Projeto Campari by Renata Paula